A monstruosa face do ABORTO – o escândalo que desmascarou uma vez mais a maior “indústria” de Abortos nos EUA. Veja como estes monstros lucram com a venda de órgãos de bebês abortados:

Deborah Nucatola, diretora sênior de serviços médicos na Planned Parenthood América, e responsável pela formação de aborteiros, além de praticar ela mesma aborto até 24 semanas.

Quanto custa um rim?

Se você ouvisse uma oferta de rins, de cabeças intactas, de fígados ou de outros produtos orgânicos, naturalmente pensaria que era propaganda de um açougue ou de um frigorífico.

A última coisa que uma pessoa civilizada poderia imaginar é que os “produtos” oferecidos não eram órgãos de animais, mas de seres humanos não nascidos (assassinados ainda no ventre materno).

Entretanto o que ficou evidente nesta semana é que existe uma “oferta” desses “produtos”, feita por um dos maiores executores de aborto no mundo, a organização Planned Parenthood (IPPF), nos Estados Unidos:

Um verdadeiro comércio de órgãos humanos de crianças abortadas por “nascimento parcial”.

Como a notícia, por ser tão assustadora, pode parecer improvável, então preferimos transcrever
a conversa em que um alto funcionário da Planned Parenthood faz a “oferta” para um
potencial comprador.

“Este funcionário é Deborah Nucatola, diretora sênior de serviços médicos na Planned Parenthood América, que fala do assunto, com total naturalidade, durante uma refeição, para aqueles que supostamente seriam potenciais clientes, de membros de “tecido humano” de uma empresa.

Relata LifeNews que Nucatola é, desde 2009, a responsável pela supervisão de todos os serviços médicos na Planned Parenthood e também responsável pela formação de aborteiros, além de praticar ela mesma aborto até 24 semanas.

“Durante a conversa – o vídeo da gravação original dura mais de duas horas – Nucatola admite que Planned Parenthood vende várias partes das crianças assassinadas, obtidas por métodos de aborto por “nascimento parcial”, para obter esses órgãos. 

Informa que os preços variam entre 30 e 100 dólares, dependendo da peça (mais ou menos entre 100 a 230 reais)

A cabeça, parte mais difícil

“Enquanto ela revolve sua salada no prato, fala com absoluta franqueza:

Muitas pessoas querem corações intactos, porque têm interesses específicos, tais como sinoauricular ou  atrioventricular… Eu sempre digo que conseguiremos tantos fígados quanto possível. 

Porque muitas pessoas querem fígados. Por esta razão, o operador deve atuar sob a orientação de ultrassom, para poder saber onde está colocando a pinça‘.

“Ou, em outro momento:

Muitos também querem extremidades inferiores. Isto é fácil. Eu não sei o que fazer com eles, suponho que eles querem aumentar sua musculatura’.”

“Acrescenta:

Nós estamos obtendo muitos bons corações, pulmões e fígados, porque sabemos como extraí-los sem perfurar a parte, mas quebrando, quebrando e certificando-se de que tudo saia intacto’.”

“Ela mesma explica que a maior dificuldade que se apresenta é quanto ao crânio; e admite que os aborteiros tentam mudar a posição em que a criança sai para facilitar a obtenção da cabeça sem danos.

Em geral,  o que alguns estão tentando é alterar a orientação do feto, de modo que não venha primeiro a sua cabeça. Se o feto for posto de forma que venha primeiro as nádegas, há uma dilatação quando saem que permite, na última etapa, remover intacta a cabeça.”

Tivemos que chegar à degradação moral de 2015 para que no país considerado como um dos mais “civilizados e democráticos” do mundo, seja possível ouvir uma conversa dessa natureza
sem causar uma tempestade de indignação em todos os lugares e menos ainda nos
meios “humanitários”…

 *   *   *

Fonte: Traduzido de http://www.credochile.cl/7-dias-en-revista/a-cuanto-un-rinon/  (Tradução livre)

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inclua agora seu nome na Missa de Nossa Senhora de Fátima.

Basta ligar para:

0800 608 2128