A história do mês de Maria

O nosso mês de Maio, de primeiros frios, de chuva e vento, é no hemisfério setentrional o mês do despertar glorioso da Natureza. A primavera, por toda a parte, irrompe vitoriosa, numa profusão deslumbrante de flores e perfumes. Na Europa, o mês de Maio é sinônimo de beleza e poesia.

A piedade dos católicos consagra a Nossa Senhora este mês privilegiado.
E realmente, melhor parece que não poderá ser nem a escolha nem a oferta: à Virgem Imaculada, super omnem speciosa, o mês régio da ressurreição e das flores.
Toda a Europa Ocidental conheceu, na Idade Média, o costume de festejar  o mês de maio. Havia, por exemplo, a corporação de S. Ana e S. Marcelo, em Paris, cuja obra primordial era adornar com flores, durante todo o mês de maio, o adro de Notre-Dame, para que Nossa Senhora fosse honrada como a “Dama do Céu”.
Em algumas cidades da França organizaram-se procissões que iam à procura de flores e de folhagens para enfeitar as igrejas principalmente consagradas a Nossa Senhora. Na Itália, grupos de homens e mulheres alternavam canções e improvisos em honra da Madonna.
Na Espanha, no século XIII, o rei D. Affonso, o Sábio, — don Affonso de Castela, de Toledo, de Leon, Rey e ben de Compostela ta o reyno Daragon — dedicara a Nossa Senhora uma das suas cantigas: Ben vennas Mayo.
E mais tarde, Henrique Suso, grande místico e devoto filial de Maria Imaculada, no decorrer de Maio, enfeitava de flores a imagem de Nossa Senhora, especialmente no dia 1o, e nessa data renovava a sua consagração à Mãe Celeste.
São Filipe Neri, o fundador da Congregação do Oratório, no mês de Maio levava os meninos ao pé do altar de Maria Santíssima, e animava-os a oferecer à Mãe celeste, juntamente com as flores da primavera, as suas virtudes juvenis.

Essa prática se deve a que, numa aparição, Nossa Senhora recomendou a São Filipe Neri que aconselhasse aos jovens uma devoção toda particular em sua honra durante o mês de Maio.

Assim o fez S. Filipe e redigiu o programa do mês, incluindo nele, para cada dia, cânticos e a reza das ladainhas diante de uma imagem da Virgem Santíssima, a assistência ao santo sacrifício da Missa, a vigilância cristã e finalmente, como fecho de ouro, a frequência aos sacramentos e a consagração à Imaculada.
O exemplo de S. Filipe Neri foi imitado. Nos colégios dirigidos pelos Padres da Companhia de Jesus, em Colônia e depois em Roma, os alunos seguiam o costume de honrar a Mãe de Deus, com intenso fervor, no mês de Maio.
Num opúsculo editado em 1654, um jesuíta, o P. Nadasi, expõe, pela primeira vez, a ideia de consagrar um mês do ano à Nossa Senhora.
Não se trata ainda do mês de Maio, mas de qualquer mês, ao gosto e cômodo do fiel: Theophilus Marianus, sive artes ac exercitationes XXXI, in mensem unum digestae.
Coube a um religioso franciscano, o Pe. Lourenço Schnüssis, o mérito de unir a ideia de honrar a Nossa Senhora no mês de Maio, com a ideia de consagrar-lhe, com exercícios especiais de devoção, um mês inteiro.
Publicou esse padre, em 1692, um livrinho com uma coletânea de 30 poesias em honra de Nossa Senhora, Mayen-Pfeiff, e ofertou-o à infanta D. Leonor, imperatriz da Alemanha.
Aproximadamente um quarto de século mais tarde, em 1724, o Padre Dionisi, S. J. publicou em Parma e reeditou em Roma o primeiro mês de Maria: Il mese di Maria, ossia il mese di Maggio consegrato a Maria. Continha o livro uma série de devoções oferecidas às famílias para a celebração do mês de Maio.
Começava nestes termos: “No aposento doméstico, onde a família se costuma reunir para rezar, enfeitar-se-á, na véspera do mês, a imagem da SS. Virgem; erguer-se-á um altar que será enfeitado do melhor modo possível”.
O piedoso exercido será curto, afim de não sobrecarregar a ninguém e cada noite será tirada por sorte a virtude especial proposta para o dia seguinte. Far-se-á também uma leitura que há de servir como preparação para a meditação da manhã seguinte. Devoção profundamente familiar, o mês de Maria seria uma conclusão da oração da noite no lar católico, uma saudação afetuosa dos filhos à Mãe de Deus e nossa.
Entrementes, porém, cinco anos antes que publicasse o seu livro, o P. Dionisi, inaugurou o mês de Maria em Nápoles, numa igreja, com cânticos, à tardinha, em honra de Nossa Senhora e Benção do SS. Sacramento.
Outro livro, ainda de um jesuíta, do P. Francisco Lalonna, veio dar ao mês de Maria a sua feição definitiva, consagrando exclusivamente a Nossa Senhora as 31 meditações do mês de Maio. Vinte anos mais tarde, foi traduzido para o francês e em seguida para o inglês e o alemão, e tornou-se um dos propugnadores da expansão do mês de Maio.
Da Itália passou a devoção à Espanha e depois à França, onde muito trabalhou para difundi-la o P. Muzarelli, autor de um livro do mês de Maria conhecido no Brasil. Em 1830, o mês de Maria já era espalhado em toda França. Em 1837 foi celebrado pela primeira vez em Viena e em 1843 em Munique. A Bélgica e a Suíça de muito já o haviam adotado. Para tanto concorrera, sobretudo, a aprovação oficial e as indulgências concedidas pelo Papa Pio VII num breve de 21 de Março de 1815.

No Brasil, recebemos da Europa o mês de Maria, adotamo-lo e fizemos dele uma das nossas devoções mais caras e tradicionais.
A chuva é o símbolo da fertilidade. Sem ela, a terra ressequida de sol não produziria o nosso sustento. Maria, nossa Mãe, é a portadora da nossa fecundidade espiritual; sem Ela não teríamos nossa força, nosso sustento, o Pão dos Anjos que alimenta a nossa alma.
Já a nuvem de Elias, desfeita em chuva refrigerante e fecundadora, era uma prefigura da Virgem que ia trazer a Luz ao mundo, Nosso Senhor Jesus Cristo.
No livro de Isaías está dito que a palavra de Javeh é como a chuva que, tendo baixado à terra, só volta ao céu depois de haver fertilizado os campos, dado a semente ao lavrador e o pão a todas as criaturas. Da proteção de Maria Santíssima pode-se afirmar o mesmo.
Jamais as nossas orações fizeram baixar até nós a Mãe de Jesus, sem que Ela faça germinar as nossas boas resoluções e florescer as virtudes em nossa alma. Maria Santíssima é a chuva benéfica que nos prepara para receber a Nosso Senhor Jesus Cristo.
Maio é um mês todo impregnado dos Mistérios da Redenção. Nele coincide sempre a festa da Ascensão e muitas vezes a de Pentecostes. Seria tão edificante acompanhar os sentimentos de Nossa Senhora naqueles dias benditos em que Ela hauria a presença física do Divino Filho ressuscitado.
———-
(*) Baseado em artigo de Maria Desideria, estampado no N° 9 das “Vozes de Petrópolis” de 1932.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

5 Comentários

  • Minha querida Mãe , protejei minha familia ,meus filhos e netos,minha mãe, esposo, e toda a
    familia. protejei as criancinhas de toda a maldade do mundo.Iluminai os governantes para
    olhar as pessoas carentes.Suplico sua benção a todos.

    Resposta
  • “À vossa proteção recorremos Santa Mãe de Deus. Não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita.”Amém.

    Resposta
  • Este artigo de Maria Desidéria é o prefácio do livro A Alma gloriosa de Maria, de D.Henrique Golland Trindade. Tempos atrás quando a Igreja católica incentivava a devoção mariana o mês dedicado a Nossa Senhora era ocasião dos católicos aprofundarem o amor à Santíssima Virgem, infelizmente hoje tudo mudou para pior! Mas o triunfo será de Nossa Mãe e Rainha!

    Resposta
  • Creio que, por razões de a devoção à Maria Santíssima na Europa ser feita no mês de maio, nós sentimos no mês de maio uma especial atenção e devoção à Maria Santíssima. Maio é um mês que traz elementos aconchegantes que favorecem a nossa devoção à Mãe de Deus. Para nós, que falamos a língua portuguesa juntamente com Portugal, a celebração da aparição de Maria no mês de maio em Fátima é um fortíssimo apelo a essa devoção no mês, juntamente com a oração do rosário, oração maravilhosa dedicada à Maria Santíssima para ter sua intercessão junto a seu Filho Jesus.

    Resposta
  • Maria Mãe da igreja intercedei por toda a minha família.Dai-nos saúde,paz proteção.Cuida dos meus netos, para que sejam pessoas de Bem.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on twitter
Share on email

Cadastre-se:

Mais postagens

Inclua agora seu nome na Missa de Nossa Senhora de Fátima.

Basta ligar para:

0800 608 2128

DÚVIDAS

Clique nas perguntas para ver as respostas

Quando você quiser. Trata-se doação espontânea e não de um título comercial que poderá ser protestado. Para cancelar basta ligar para (11) 4368 2253 ou até nos contatar por outros canais. Mas lembre-se que a sua doação é a forma de participar de um apostolado e até receber graças.

O Grupo Exército da Medalha Milagrosa é formado por pessoas que acreditam na intercessão de Nossa Senhora das Graças através da Medalha Milagrosa e querem espalhar essa devoção pelo Brasil, atendendo ao pedido que Ela fez: “Faça cunhar uma Medalha por este modelo…”. Nossa Senhora pode contar com você?

Quando fazemos algo que nos custa algum sacrifício, isso tem mais méritos aos olhos de Nossa Senhora, Mãe de Misericórdia. Quanto mais você fizer pela Virgem Maria, mais graças estará atraindo para a sua vida. Economizando uma moedinha por dia, 1,00 Real, ao final do mês você terá condições de participar do Grupo Apóstolos de Fátima. Faça um voto de fé e experimente.

Bem, além do cartão de crédito você pode nos ajudar de outras formas. Mas você também pode ver se algum familiar pode lhe emprestar seu cartão de crédito para debitar essa doação. Ele também será incluído nas Missas. Muitas vezes você pode utilizar um cartão de uma loja de departamento, até supermercado. Como um cartão da Riachuelo, C&A, etc., desde que tenham a bandeira VISA ou Mastercard.

Não precisa se preocupar. Nós contratamos um sistema de SITE SEGURO, exatamente como os bancos. Na hora de preencher seus dados no site, veja que terá um cadeadinho no canto superior esquerdo da tela. Ele á a garantia de um site 100% seguro. Pode confiar e ir em frente.

PARABÉNS. São poucas as pessoas que realmente agem para fazer o bem, sem egoísmo. Mas, pessoas como você, geralmente são mais solicitadas dos que os que nada fazem. E Deus, que a tudo vê, saberá recompensá-las. Faça esse gesto por Nossa Senhora de Fátima. Faça como uma promessa ou voto de fé. Ela certamente escutará as suas preces e lhe atenderá.

Claro. Mas lembre-se da Virgem Maria quando o Arcanjo Gabriel lhe perguntou se Ela queria ser a mãe do Messias. Mesmo pobre e mocinha ELA DISSE SIM, sem deixar para depois, afinal, era um pedido do Espírito Santo. Será que a Virgem Maria não está esperando o seu SIM bem agora? Por que deixar para depois?

Pense que a sua ajuda nos permitirá levar este símbolo de Proteção e Bênçãos Marianas a muitas famílias que necessitam. E lembre-se que você contará com missas semanais, terá seu nome levado até o Santuário de Nossa Senhora das Graças e outros presentes. Tudo para lhe agradecer por essa valiosa ajuda. Além disso, você certamente contará com as graças de Maria em sua vida.

Muitos pensam que Missa só se manda celebrar para os falecidos. Ao contrário, ter missas em nossas intenções, enquanto estamos nessa terra, é muito importante. Por isso decidimos por esta forma de lhe agradecer pela sua generosa doação, com este presente de valor infinito. Cada Missa é a renovação do sacrifício de Nosso Senhor.

Sem problemas. Nossa Senhora das Graças quer a ajuda daqueles que o fazem com generosidade e sinceridade. Uma doação obrigada nunca será bem vinda para um apostolado mariano com a missão de difundir a devoção a Nossa Senhora das Graças e a Medalha Milagrosa. Uma doação generosa e dada de boa vontade atrairá bênçãos para você, para sua família e para toda essa obra apostólica.