São Luiz do Paraitinga: o que o povo diz nas ruas

sao-luiz-paraitinga-foto-enchente

O jornal Folha de São Paulo de 17/1/2010 publicou a matéria sobre o comentário de moradores de São Luiz do Paraitinga que reproduzimos abaixo. Deixamos para os leitores os comentários que poderão ser feitos no final deste post.

———————————-

Para morador, enchente foi um “castigo de Deus”

Religiosos dizem que cidade se perdeu em micaretas e outras festas pagãs

Imagens de santos achadas em pé reforçam as teorias de punição divina; rumores em Paraitinga citam “premonição” de padre

ROGÉRIO PAGNAN
ENVIADO ESPECIAL A SÃO LUIZ DO PARAITINGA

Os técnicos apontam entre as razões para a catástrofe de São Luiz do Paraitinga os altos índices pluviométricos, o sistema de escoamento problemático e a ocupação irregular do solo. Para grande parte dos moradores, porém, há apenas um único motivo para o que aconteceu: um castigo de Deus.
Ao andar pelas ruas da católica Paraitinga, cidade de cerca de 11 mil habitantes destruída pela força das águas na virada do ano, há sempre um morador para explicar que Deus decidiu punir a cidade porque ela teria se transformado numa espécie de Sodoma e Gomorra.

Assim como as cidades bíblicas perdidas no pecado e também destruídas por decisão divina, São Luiz do Paraitinga teria abandonado os ensinamentos de Deus e se perdido em festas mundanas. A queda da igreja matriz deixou, para eles, claro o recado. “Vai mais gente à Festa do Saci do que à Festa do Divino, que é a festa do padroeiro”, diz a cozinheira Bruna Aparecida da Silva, 23. “É um castigo. Deus tá vendo tudo isso”, emenda a colega de profissão, Benedita Arlete.

A Festa do Saci é uma espécie de micareta realizada na cidade no final de outubro. A grande atração de Paraitinga é, porém, seu Carnaval, que chega a reunir em suas apertadas ruas 60 mil pessoas por dia. “Tem que fazer festa para Deus, não para o outro lado. Saci é do outro lado, da esquerda, não é não?”, explica o agricultor João Rangel dos Santos, 67, que perdeu um filho em soterramento na noite da enchente. “Isso é para as pessoas acordarem e voltarem a pensar em Deus”, diz a dona de casa Rita de Cássia Cezar Ramalho, 45, vizinha da família dos Santos, no bairro Bom Retiro.
Para a aposentada Olga Pires Fontes, 85, há também a ingratidão de parte dos moradores da cidade com seus padres -assim como aconteceu com anjos enviados a Sodoma. “Aqui tem muita lágrima de padre. Isso contribui”, diz ela, também entre lágrimas. “Cada padre que vem aqui sai sentido com alguma coisa. Conheço uns oito que saíram chorando daqui feito criança”, afirmou ela.

O engenheiro Jairo Borriello, participante do grupo de reconstrução da cidade e que acredita na versão técnica para o desastre, diz que coincidências reforçam a versão religiosa. Uma delas é uma casa ter sido destruída pelas águas e apenas uma parede, a única com crucifixo pregado, ter resistido. “Que as imagens de santo estão sendo encontradas de pé, isso é fato, e ajuda a aumentar esse sentimento”, afirmou.

Por fim, ainda há o rumor, ouvido pela Folha dezenas de vezes, de uma “premonição”: o padre Osmar, de Lagoinha (cidade vizinha), teria previsto o desastre, afirmado que as águas chegariam à matriz e que não haveria Carnaval neste ano.

Procurado, o padre falou pouco. “Não gosto de reportagem. Não sei de nada. O povo pôs palavras na minha boca.”

—————————————

E você leitor? O que acha disso tudo? Qual a sua opinião?

Deixe abaixo seu comentário.

Se você NÃO tem Facebook, comente abaixo a:
  1. Marcia Rinaldi Moreno
    18, janeiro, 2010 em 11:42 | #1

    Acredito que seja a mão do Senhor pesando sobre eles. Não talvez como um castigo, mas como um alerta. Deus permita que se conscientizem e voltem a crescer na Graça do Pai.
    Mas estamos orando por todos. Fraternal carinho e nosso pedido a Deus que desça sobre todos sua infinita Misericordia.

  2. 18, janeiro, 2010 em 11:13 | #2

    Eu acredito realmente no que o povo desta cidade fala: é um castigo de Deus.
    Isto são alertas e advertências para que o povo volte ao verdadeiro caminho.
    Fazer festas satânicas e deixar Deus de lado, ‘da nisso mesmo.
    Com Deus não se brinca. Sim, as bocas das pessoas que disseram isto, foram inspiradas por Deus. Deus, ainda em toda a sua misericórdia, ainda alerta e adverte seus filhos, para que voltem ao bem e não partam para o mal.
    E com sacerdotes é muito certo. Sacerdotes são pessoas consagradas a Deus.Quem ofende a eles, está ofendendo a Deus.
    Minha vó sempre dizia, que cidade que humilha e escorraça seus sacerdotes não fica bem vista por Deus e serve de atraso para elas. Em vez de progredirem, atrasam seu crescimento.
    Não vou dizer o nome de minha cidade, é aqui em Goiás,divisa de Goiás com Minas, lá se tinha o costume de maltratar os sacerdotes, e hoje lá é uma cidade pacata, que nunca cresceu,vive na obscuridade. Eu nasci lá e vim para Goiânia,com 1ano de idade.E hoje tenho 66anos.
    Sou católica Apostolica Romana, sigo direito a minha fé catolica e nela vou morrer.
    Eu em minha opinião, acho que uma pessoa que tem seus princípios e suas raízes na Religião Católica ou outra religião cristã(porque os evangelicos também são cristãos) e vão para outras religiões ou seitas, é um covarde, não tem firmeza na fé.
    Sinto Feliz em ser Católica e Deus tem me beneficiado de muitas graças divinas.
    É muito ruim ser tocado e escorraçado de um lugar em que Deus o colocou para redimir o povo e este povo o recusa como representante de Deus.Sim, eles tem razão em chorar pois no fundo sabem que Deus não ficará contente com este ato desumando.
    Obrigado.Vera Lúcia(Vera)

  1. Nenhum trackback ainda.

 

Você também gostará der ler...

Receba diariamente:
Mensagens de Fé e de áudio, Novenas, Orações e muito mais no seu e-mail.

Pesquisar no site

Veja o que acabamos de publicar

  • Missa de Nossa Senhora de Fátima pelas Graças Imediatas Leia Mais +
  • Conselhos católicos sobre como educar os filhos Leia Mais +
Topo ↑

Inclua agora seu nome na Missa de Nossa Senhora de Fátima. Basta ligar para: 0800 608 2128

Rua: David Pimentel, 745, Fazenda Morumbi
CEP 05657-010 - São Paulo/SP

Política de Privacidade