Antes de morrer, importante bispo norte-americano revelou quem foi a sua maior fonte de inspiração: uma menina chinesa de 11 anos. Leia aqui, é de arrepiar.

Pouco antes de morrer, o Bispo Fulton Sheen concedeu uma entrevista surpreendente e inesquecível.

 

Poucos meses antes de sua morte, o Bispo Fulton J. Sheen foi entrevistado por uma emissora de TV nacional:

“Dom Sheen, milhares de pessoas ao redor do mundo são inspirados pelo senhor. E o senhor? Em quem se inspirou? Talvez em algum papa?”

O bispo respondeu que sua maior fonte de inspiração não foi um Papa, um cardeal, outro bispo ou até mesmo um padre ou uma freira, mas uma menina chinesa de 11 anos de idade.

Ele explicou que quando os comunistas tomaram o poder na China, haviam prendido um sacerdote em sua casa paroquial, perto da igreja.

O padre olhou assustado para fora da janela, e viu como os comunistas invadiram o templo e tomaram o caminho para o santuário.

Cheios de ódio, eles profanaram o tabernáculo, agarraram a âmbula e o cálice e jogaram no chão espalhando por toda parte as hóstias consagradas.

Era um tempo de perseguição e o sacerdote sabia exatamente quantas hóstias estavam na âmbula: trinta e duas.

 

Uma pequena chinesa fiel

Quando os comunistas se retiraram, por algum motivo eles não tinham visto ou não tinha prestado atenção a uma menina que rezava na parte de trás da igreja, e que tinha visto tudo o que tinha acontecido.

À noite, a menina voltou e driblando o guarda comunista que estava à frente da casa paroquial, correu e entrou no templo novamente.

Lá, ela fez uma hora santa de oração, um ato de amor para reparar o ato de ódio e sacrilégio.

Depois de sua hora santa, entrou no santuário, ajoelhou-se e, inclinando-se para a frente com a língua estendida, recebeu miraculosamente Jesus na Sagrada Comunhão.

A pequena continuou a voltar a cada noite, fazendo a hora santa e recebendo miraculosamente Jesus Eucarístico na língua.

Na trigésima segunda noite, depois de ter consumido a hóstia, o caso fez rumor e assim chamou a atenção do guarda comunista que correu atrás dela, agarrou-a e bateu nela até matá-la com os golpes da parte de trás de sua arma.

 

Pequena menina, grande inspiração

A este ato de martírio heróico assistia o pobre sacerdote, que, desconsolado apenas podia olhar para fora da janela de seu quarto que havia sido transformado em uma prisão solitária.

Quando o Dom Sheen soube desse  relato, ele ficou tão inspirado que prometeu a Deus que ele faria uma hora santa de adoração diante do Santíssimo Sacramento todos os dias pelo resto de sua vida.

Se aquela menina foi capaz de dar a própria vida como um testemunho da presença real de seu Salvador no Santíssimo Sacramento, o bispo se viu obrigado a fazer o mesmo.

Seu único desejo passou a ser aquele de atrair o mundo para o Coração ardente de Jesus no Santíssimo Sacramento.

A pequena menina chinesa ensinou ao bispo o verdadeiro valor e zelo que se deve ter para com a Eucaristia; como a fé pode sobrepor qualquer medo e como o verdadeiro amor por Jesus na Eucaristia deve transcender a própria vida.

Prof. Felipe Aquino,  Aleteia
Fonte: Fratresinunum 

Se você NÃO tem Facebook, comente abaixo a:
  1. Maristela Morais
    24, outubro, 2015 em 22:22 | #1

    Que impressionante! Realmente inspirador.

  1. Nenhum trackback ainda.

 

Você também gostará der ler...

Receba diariamente:
Mensagens de Fé e de áudio, Novenas, Orações e muito mais no seu e-mail.

Pesquisar no site

Veja o que acabamos de publicar

  • A situação é cada dia pior. Que nos resta fazer? Descubra! Leia Mais +
  • Cardeal Burke fala sobre a Consagração da Rússia. Leia Mais +
  • O Milagre que canonizou Santos Jacinta e Francisco Marto. Leia Mais +
  • Confira na Íntegra: Sucesso da conferência sobre o Primeiro Centenário das Aparições em Fátima. Leia Mais +
  • Divulgado mais um vídeo do Pe Tom, sequestrado por terroristas. Leia Mais +
Topo ↑

Inclua agora seu nome na Missa de Nossa Senhora de Fátima. Basta ligar para: (11) 5082-4625

Rua: David Pimentel, 745, Fazenda Morumbi
CEP 05657-010 - Sáo Paulo/SP

Política de Privacidade